quarta-feira, 31 de julho de 2013

Concurso de Professores da UNEMAT


Finalmente saiu o Edital para Concurso de Professores da UNEMAT - Universidade do Estado de Mato Grosso.
Para a Educação Física, são 2 áreas, com 01 e 09 vagas, para cada uma área, confiram o Edital no link abaixo:

FURRECO

ijhsdaiodfuisa

segunda-feira, 29 de julho de 2013

JUIZ - PORTA DOS FUNDOS


Ele é o vigésimo terceiro guerreiro em campo. O homem que não volta pra casa sem desaforo. É ele quem separa os peladeiros dos atletas, o Edmundo da porrada e a injustiça da retidão. Tá entrando em campo o o lobo solitário da imparcialidade, o dono da bola, da moral e dos bons costumes: o árbitro de futebol.



domingo, 28 de julho de 2013

Serviço Social & Sociedade no.114 São Paulo abr./jun. 2013

Serviço Social & Sociedade
versão impressa ISSN 0101-6628

 
Sumário
Serv. Soc. Soc.  no.114 São Paulo abr./jun. 2013
Editorial


        · texto em Português     · pdf em Português
  
 Artigos
  
 ·  Os 40 anos sem Lukács e o debate contemporâneo nas ciências humanas
Castro, Rogério

        · resumo em Português | Inglês     · texto em Português     · pdf em Português
  
 ·  A "viagem de volta"significados da pesquisa na formação e prática profissional do Assistente Social
Moraes, Carlos Antonio de Souza

        · resumo em Português | Inglês     · texto em Português     · pdf em Português
  
 ·  Serviço Social em empresasconsultoria e prestação de serviço
Giampaoli, Maria Cristina

        · resumo em Português | Inglês     · texto em Português     · pdf em Português
  
 ·  A percepção do assistente social acerca do racismo institucional
Eurico, Márcia Campos

        · resumo em Português | Inglês     · texto em Português     · pdf em Português
  
 ·  Saúde mental e classe socialCAPS, um serviço de classe e interclasses
Rosa, Lucia Cristina dos SantosCampos, Rosana Teresa Onocko

        · resumo em Português | Inglês     · texto em Português     · pdf em Português
  
 ·  A política de descriminalização de drogas em Portugal
Martins, Vera Lúcia

        · resumo em Português | Inglês     · texto em Português     · pdf em Português
  
 ·  Democracy and citizenshipan ongoing debate for the construction of a public policy for women
Olaya, Eucaris

        · resumo em Espanhol | Inglês     · texto em Espanhol     · pdf em Espanhol
  
 Comunicação de Pesquisa
  
 ·  Empresa Brasileira de Serviços Hospitalaresum novo modelo de gestão?
Sodré, FrancisLittike, DenildaDrago, Leandra Maria BorliniPerim, Maria Clara Mendonça

        · resumo em Português | Inglês     · texto em Português     · pdf em Português
  
 ·  Diálogos entre Serviço Social e educação popularreflexão baseada em uma experiência científico-popular
Oliveira, Lucia Conde deVieira, Sâmia BarrosSousa, Hevelanya Albano deNogueira, Maria Sônia LimaBrito, Célia Maria Machado deFernandes, Isabelle Rocha

        · resumo em Português | Inglês     · texto em Português     · pdf em Português

sábado, 27 de julho de 2013

SINPRO-DF IRÁ CONTEMPLAR MAIS 10 VAGAS PARA PROFESSORES PARTICIPAREM DO CONBRACE

 
O Sindicato dos Professores ainda irá contemplar 10 professores associados com a taxa de inscrição para o Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte (CONBRACE). Os interessados devem enviar um e-mail para ofaleconoscoimprensa@sinprodf.org.br. O CONBRACE é um evento científico de periodicidade bienal. Constitui-se no maior evento do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE) e é considerado um dos mais importantes Congressos dentre as Sociedades Cientificas da área.
Este evento consolidou-se, tanto no cenário nacional, quanto latino-americano, em decorrência do rigor científico dos suas apresentações e trabalhos, bem como pela credibilidade construída ao longo dos mais de 30 anos do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte.
Nesta 18º edição o tema será: IDENTIDADE DA EDUCAÇÃO FÍSICA E CIÊNCIAS DO ESPORTE EM TEMPOS DE MEGAEVENTOS. O tema escolhido sempre foi motivo de muita polêmica, uma vez que se trata de uma área do saber que se estruturou cientificamente a partir de duas grandes e tradicionalmente distintas áreas do conhecimento: Ciências Biológicas e Ciências Humanas.
Mais informações no link http://conbrace.org.br/.

LIVROS - LANÇAMENTO NO CONBRACE 2013

Lino Castellani Filho / Campinas: Autores Associados, 2013.

Luciano Galvão Damasceno / Campinas: Papirus, 2013, 224 p.

Ângela Celeste Barreto de Azevedo / Campo Grande: UFMS, 2013, 147 p.

Tadeu João Ribeiro Baptista / Curitiba: Appris, 2013, 210 p.

Jeimison de Araújo Macieira, Fernando José de Paula Cunha e Lauro Pires Xavier Neto (Org.) / João Pessoa: UFPB, 2012, 95 p.

Alex Branco Fraga, Yara Maria de Carvalho e Ivan Marcelo Gomes / São Paulo: Hucitec, 2013.

Caio Antunes / Campinas: Autores Associados, 2012, 229 p.

André Malina e Sebastiana Cesario (Org.) / Campo Grande: UFMS, 2ª edição revista e ampliada, 2013, 164 p.

Dulce Filgueira de Almeida e Alfredo Feres Neto (Org.) / Brasília: Thesaurus, 2012, 164 p.

Victor Andrade de Melo, Gisele Maria Schwartz e Alfredo Feres Neto (Org.) / Ijuí: Unijuí, 2012, 208 p.

Rosa Malena de Araújo Carvalho / Niterói, UFF, 2012, 119 p.

Rosa Malena de Araújo Carvalho (Org.) / Curitiba, CRV, 2011, 174 p.

Marcelo Rocha Radicchi / Jundiaí: Fontoura, 2013, 128 p.

Roberto Affonso Pimentel / Rio de Janeiro: Edição do autor, 2012, 1.047 p.

Luiz Gustavo Bonatto Rufino / Jundiaí: Paco, 2012, 164 p.

Ivan Marcelo Gomes, Felipe Quintão de Almeida e Emerson Luís Velozo (Org.) / Nova Petrópolis: Nova Harmonia, 2013, 306 p.

Fernando Augusto Starepravo / Curitiba, CRV, 2013, 164 p.

Fabio Zoboli / São Cristóvão: UFS, 2012, 240 p.

Ricardo Rezer (Org.) / Chapecó: Argos, 2013, 200 p.

Ricardo Rezer / Porto Alegre: Orquestra, 2013, 351 p.

Tiago Aquino da Costa e Silva e Alipio Rodrigues Pines Junior / São Paulo: All Print, 2013, 136 p.

José Ricardo da Silva Ramos e Roberta Jardim Coube (Org.) / Niterói: Muiraquitã, 2013, 70 p.

Eliana de Toledo e Paula Cristina da Costa Silva (Org.) / Jundiaí: Fontoura, 2013, 224 p.

Luciana Pedrosa Marcassa, Fábio Machado Pinto e Jéferson Silveira Dantas (Org.) / Florianópolis: Insular, 2013, 296 p.

Manuel Pacheco Neto (Org.) / Dourados: UFGD, 2012, 223 p.

Ana Aparecida Almeida de Souza / Jundiaí: Fontoura, 2012, 152 p.

Jorge Felipe Columá / Niterói: Nitpress, 2012, 160 p.

Marta Genú Soares et al / São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2013, 35 minutos.

Fernanda Paiva e Tarcísio Mauro Vago (Org.) / Vitória: UFES, 2012, 32 minutos.

Professores do CEFD/UFES e colaboradores / Vitória: UFES, 2008 a 2013.

Raimundo Nonato Assunção Viana / São Luís: EDUFMA, 2013, 205 p.

Eduardo Lautaro Galak y Valeria Varea (Editores) / Buenos Aires: Biblos, 2013, 150 p.

Alexandre Paulo Loro, Marina Vinha e Carlo Henrique Golin (Org.) / Dourados: UFGD, 2013, 180 p.

Carolina Chagas Kondratiuk e Marcos Garcia Neira / São Paulo: Phorte, 2013, 184 p.

Tatiana Passos Zylberberg (Org.) / Fortaleza: Edição do autor, 2013, 180 p.

Maria Aparecida Dias / São Paulo: Livraria da Física, 2013, 148 p.


Marcilio de Souza Vieira / Jundiaí: Paco, 2012, 184 p.


Aproveite e venha ao CONBRACE: www.conbrace.org.br



BOLETIM INFORMATIVO

DISPONÍVEL NOVO BOLETIM INFORMATIVO DO MNCR. EDIÇÃO MAIO-JUNHO 2013.

Nesta edição:

1) Ação Civil Pública contra o CREF/3-SC: pela não restrição da atuação da licenciatura
2) Nota de Repúdo ao CONFEF/CREFs em Relação ao NASF
3) Professores da Rede Municipal de SP criam Projeto de Lei

Para acessar: CLIQUE AQUI

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Anais eletrônicos do XVIII CONBRACE / V CONICE


Prezados Congressistas,

Informamos que os Anais eletrônicos do XVIII CONBRACE / V CONICE foram pré-publicados e já estão liberados para acesso livre.

Estão disponíveis tanto os textos completos correspondentes às Apresentações Orais, como os resumos ampliados correspondentes aos Pôsteres submetidos e aprovados pelos Comitês Científicos dos GTTs.

Apenas os textos completos selecionados para publicação no suplemento especial da Revista Brasileira de Ciências do Esporte - RBCE não estão disponíveis, embora seus resumos possam ser acessados.

Adverte-se que os textos completos ou resumos ampliados correspondentes aos trabalhos que não forem efetivamente apresentados serão excluídos dos Anais após o evento.

Esclarecimentos ou possíveis inconsistências no material pré-publicado devem ser solicitadas ou comunicadas através do e-mail conbrace1@gmail.com.
Acesse os Anais eletrônicos do XVIII CONBRACE / V CONICE em:

http://cbce.tempsite.ws/congressos/index.php/conbrace2013/5conice/schedConf/presentations

Cordialmente,
Comissão Científica do XVIII CONBRACE / V CONICE

PROTESTO BEM-HUMORADO CONTRA A ELITIZAÇÃO DO MARACANÃ

Torcedores de Fla e Bota marcam protesto bem-humorado contra elitização do Maracanã


Movimentos 'Aristocracia Alvinegra' e 'Aristocracia Flamenga' convidam torcida para ir ao estádio usando trajes de gala e um 'Chá das 5' na porta do Maracanã está marcado

  •  
Luiz Gustavo Moreira e Paulo Victor Reis 
Convite da torcida para o protesto no Maracanã (Foto: Reprodução/ Facebook)
Se o primeiro clássico do Novo Maracanã, entre Fluminense e Vasco, no último domingo, ficou marcado pela hostilidade entre as torcidas na semana que antecedeu o confronto, o segundo duelo entre rivais no repaginado estádio - Flamengo e Botafogo, no próximo domingo - promete um clima bem mais ameno.
Torcedores dos clubes marcaram um protesto bem-humorado na porta do estádio, contra os preços elevados dos ingressos. A ideia? Se vestirem com trajes de gala, como terno, gravata, cartolas, vestidos longos e salto alto.
A iniciativa partiu de torcedores do Botafogo, que criaram o evento "Aristocracia Alvinegra" no Facebook. Em seguida, rubro-negros fizeram a "Aristocracia Flamenga". Eles se reunirão às 17h, 1h30 antes da partida, para tomar um "Chá das 5". Afinal, "lord que é lord divide a mesma mesa para falar de esportes nobres, como pólo, golfe e futebol", como diz a descrição do evento alvinegro.
Versão rubro-negra do protesto no Maracanã (Foto: Reprodução/Facebook)
- Esperamos que essa convivência pacífica seja um legado bom desse Novo Maracanã. A ideia é fazer com que seja um grande acontecimento para as duas torcidas - disse Guilherme Figueira, um dos idealizadores da parte alvinegra do movimento.
Guilherme pensa nesse protesto desde os primeiros indícios de uma possível elitização do Maracanã e viu o primeiro jogo do clube da Estrela Solitária no Maracanã como uma ótima oportunidade para estrear o protesto.
O idealizador da Aristocracia Flamenga, Eduardo Tomazine, também falou sobre o movimento.
- Nosso objetivo é protestar contra esse escárnio feito contra a cultura popular. Entendemos os argumentos para o valor dos ingressos, mas isso não justifica a exclusão das camadas populares do Maracanã - revoltou-se Eduardo.
Questionado se já havia garantido seu ingresso para o clássico, Guilherme brincou com a situação e disse que não se preocupou com os valores:
- Para nós, não faz tanta diferença. Afinal, somos aristocratas.


Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/botafogo/Torcedores-Botafogo-bem-humorado-elitizacao-Maracana_0_961704013.html#ixzz2aAPmcHA4
© 1997-2013 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE! 

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Carta Denúncia: Mais um abuso do Sistema CREF/CONFEF

Carta Denúncia: Visita técnica de fiscalização ou intimidação do profissional de Ed. Física?

Prezados, 

Somos educadores físicos, e viemos manifestar a nossa indignação com o sistema CONFEF/CREF, no que diz respeito à forma como fomos abordados durante a “fiscalização de rotina” que ocorreu no dia 15/07/13 (segunda-feira) no período da tarde na empresa onde trabalhamos. Nosso espaço, que é voltado para o ensino da natação infantil, adota uma metodologia própria, com fundamentos Pedagógicos e Psicomotricistas. O espaço conta com sete profissionais formados em educação física, contendo dentre estes quatro licenciadas. O objetivo da escolinha é completamente pedagógico, deixando de lado a questão do treinamento para rendimento e competições.
Durante a visita a agente de fiscalização do CREF chegou ao nosso espaço na companhia de dois policiais militares e dois fiscais da vara da infância e da juventude. A abordagem por parte do órgão fiscalizador foi bastante intimidadora e incisiva uma vez que interrompeu as aulas que estavam em andamento para colhimento de informações a respeito da formação acadêmica de quatro profissionais que se encontravam em atividade (Juliana Ferreira Campos, Kamila Mesquita de Melo, Erika Bernardo da Conceição e Izabella Ramos Barbosa). As três primeiras profissionais supracitadas tem formação em licenciatura. Dessa forma, duas professoras (Kamila Mesquita de Melo, Erika Bernardo da Conceição) foram obrigadas a sair da piscina, visto que a agente do CREF alegava que estavam exercendo exercício ilegal da profissão e que poderiam ser presas caso não obedecessem à ordem dela. A terceira professora (Juliana Ferreira Campos) já estava fora da piscina sendo notificada, porém não sofreu ameaças da fiscal. Diante disso, o Conselho Regional de Educação Física aconselhou as professoras a se regularizarem diante do órgão e, por conseguinte, deixou claro que as mesmas ficariam impossibilitadas de trabalhar em qualquer espaço não escolar, incluindo a instituição em que trabalhavam ate o devido momento. E ao pergunta a fiscal por que deveriam se regularizar já que não trabalharia, mas no espaço onde foram notificadas receberam a seguinte resposta “o lugar de vocês é na escola e lá tem que ter o CREF, estamos entendidas?”
Durante o ocorrido, quando as profissionais já haviam se retirado da água, chegou uma aluna da escolinha, de aproximadamente dois anos, e a professora Erika Bernardo, pensando na frustração da criança e no seu papel social formador, resolveu entrar de volta na piscina. A agente do CREF repetiu diversas vezes que a profissional iria ser presa se não saísse da água. O evento causou imenso constrangimento para as crianças, que ficaram assustados; para os pais, que não compreendiam os motivos de tais movimentações; e para os professores, que ficaram com a imagem de impostores, que estariam no local sem ter a habilitação necessária para exercer a profissão. Como se fôssemos marginais, procuradas pela justiça e desmascaradas a sociedade. A impressão que passaram é que estávamos desrespeitando ou infringindo a autoridade do sistema CONFEF-CREF/PE-AL.
Após o alvoroço de aproximadamente uma hora e meia a agente de fiscalização do CREF, os dois policiais militares e os dois fiscais da vara da infância e da juventude foram embora. Explicamos para alguns pais o que havia ocorrido na tentativa de tranquilizamos as inquietações geradas no momento da fiscalização. Um dos pais que é advogado ficou furioso e orientou para que procurássemos nossos direitos.
Entramos em contato a Drª Fernanda Resende, que é pioneira em Recife na luta pelo direito do professor Licenciado em Educação Física atuarem livremente sem a perseguição do sistema opressor CONFEF- CREF/PE-AL. Foi dada entrada a uma Ação Ordinária com Pedido de Tutela Antecipada em face do CONFEF e do CREF/PE-AL,distribuído para o juiz da 2ª Vara Federal.
De acordo com a LDB 9.696/98, o exercício da profissão de educação física é privativo dos diplomados em cursos de educação física. A legislação não diferencia os bacharéis e os licenciados, bem como não delimita os seus campos de atuação. Dessa forma, fica latente ressaltar que a liberdade profissional somente pode ser restringida por meio de lei, e que são inadmissíveis restrições por meio de resolução ou instruções normativas de conselhos profissionais.
            Em Pernambuco, o educador físico Leonardo C. de A. D., licenciado em educação física desde 2010, teve deferido em 09/07/2013, uma liminar a seu favor.  A causa tem sido acompanhada pela Drª Fernanda Resende. Essa medida liminar permite que o Leonardo exerça livremente a sua profissão, em qualquer espaço sendo escolas, academias, escolinhas ou qualquer outro espaço onde o profissional possa se fazer presente.  Assim como o Leonardo, estamos aguardando o resultado do juiz. Esse feito revela os avanços contra o Sistema CONFEF- CREF/ PE- AL em nosso estado.
Todos os dias estão acontecendo visitas em escolas, academias, clubes e espaços onde os profissionais de Educação Física atuam. Nesse momento, colegas nossos de profissão sendo eles Licenciado ou Bacharelado podem está passando por constrangimento, humilhação e intimidação. Não podemos permitir que uma instituição que julga defender nossos direitos exerça de forma cruel e perversa por meio de resolução ou instruções normativas sobrepondo a lei maior a LDB.
Solicitamos encarecidamente, que encaminhem essa carta a todos os profissionais da área de Educação Física que já passaram ou não por constrangimentos por parte do Sistema CONFEF- CREF de qualquer região a nível nacional, com o intuito de nos fortalecermos e unirmos no sentido de lutar por uma questão de todos.
 
Gratas
Profª. Esp. Juliana Ferreira Campos.
Proª. Mariana do Nascimento Senna.
 

segunda-feira, 22 de julho de 2013

CONCURSO PROFESSOR SUBSTITUTO MANIFESTAÇÕES GIMNICAS UFSJ

Pessoal.....para divulgação.....vaga para professor substituto em São João Del Rei........segue o link:
http://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/secop/2013/EDITAIS/CPD_088_MANIFESTACOES_GIMNICAS_DCEFS.pdf

Nulidade do Registro Profissional para Educação Básica

Repostamos aqui notícia que deve ser do interesse de todo Professor de Educação Física, vinculado ao campo escolar.

Isso deverá ter validade em todo território brasileiro, principalmente, no interior dos estados, pois nas cidades pequenas as relações de poder são desiguais e a informação chega da mesma forma.

Aos professores de Educação Física da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis/SC

      Nas semanas anteriores chegou a algumas escolas e creches da PMF o ofício circular n. 003/2013/CREF3 expondo que para exercer as funções do magistério na Educação Básica, na disciplina de Educação Física, é preciso além do diploma de licenciado, o registro no Conselho Regional de Educação Física (CREF).

      Nós, do Movimento Nacional Contra a Regulamentação do Profissional de Educação Física (MNCR), gostaríamos de esclarecer aos trabalhadores que o Sistema CONFEF/CREFs se utiliza de medidas e interpretações equivocadas e incorretas das   Leis   que   regulam   o   Sistema   de   Ensino   brasileiro   para   se   beneficiar   economicamente   e politicamente, aumentando o número de trabalhadores(as) registrados(as) mesmo sem que seja necessário o registro para o exercício da profissão na Educação Básica.


       Tendo   em   vista   tamanhas   arbitrariedades   e   irregularidades,   diversas   ações   jurídicas   e consultas aos Conselhos de Educação (municipal, estadual e nacional) foram feitas e os resultados de tais ações sempre apresentam a mesma conclusão: NÃO É LEGAL A COBRANÇA DE REGISTRO NO CONSELHO PARA A ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA! Estes pareceres podem ser visualizados no dossiê formulado pelo MNCR e divulgado no blog:http://mncref.blogspot.com.br/2012/07/dossie-conselhos-profissionais-e.html


     Ainda, ressaltamos a consulta feita pelo SINTRASEM ao Conselho Estadual de Educação sobre a questão, na qual se segue a resposta: “Nos termos da presente análise, responda-se ao Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis – SINTRASEM – Florianópolis/SC, que para o exercício da docência, não é legal a exigência da filiação ao Conselho Regional de Educação Física - CREF, assim como a qualquer outro órgão de classe” (Parecer do CEE/SC, n. 183, de 14/09/2010).


    Desta forma, ressaltamos mais uma vez a NÃO EXIGÊNCIA DE FILIAÇÃO AO CREF! A luta dos professores de Educação Física não será a luta por dentro dos conselhos profissionais que só cobram mensalidades e cerceiam os espaços de atuação. Nossa luta será pela regulamentação do trabalho (defesa dos direitos e conquistas da classe trabalhadora) para todos, pois ser professor é reconhecer que todos os homens devem ter, concretamente, a possibilidade de serem humanos e que, portanto, devemos avançar na organização de uma sociedade justa e igualitária de fato, para todos.
Fonte: Blog do MNCR
Dica: Blog do Sérgio

quinta-feira, 18 de julho de 2013

HOJE: 1º Debate Nacional de Redes e Ruas






  • Redes e ruas, praças e pixels, assembléias horizontais e Câmaras ocupadas. Uma nova realidade política nasceu a partir do já histórico #17J. As redes sociais ganharam as ruas com gritos plurais, transversais, imaginativos, sonhadores. Nunca jamais será como antes. Nunca. #VemPraRua ainda pipoca em todos os cantos do país. Em apenas um mês, as estruturas políticas envelheceram um século. As redes e as ruas do país ainda estão ocupadas por um intenso desejo de mudança, que reivindica igualdade de vozes, transparência nas tomadas de decisões, horizontalidade política. Um desejo que sonha com uma paisagem diferente sem lideranças, sem celebridades, privilégios e mediadores.

    O 1º Debate Nacional de Redes e Ruas será um debate de vídeo entre várias pessoas, em tempo real, na plataforma do Google +. O 1º Debate Nacional de Redes e Ruas é um novo espaço de diálogo. Um novo espaço de construção política. Um espaço horizontal construído de baixo para cima. Um espaço que contará com a presença de pessoas que estão participando nas novas assembleias populares horizontais do país, nas câmaras municipais ocupadas, nas acampadas, nos protestos, nos escrachos contra essa élite arrogante que joga notas de vinte reais para os manifestantes do Copacabana Palace. De Minas à Paraíba, do Pará ao Rio Grande do Sul, do Espírito Santo à São Paulo, do Rio de Janeiro à Santa Catarina, de Brasília à Pernambuco. A maioria das regiões do Brasil estará presente no debate. Venha e traga a sua voz. Colabore para um debate construtivo para todos :)

    * O Link do streaming do Hang Out será divulgado uns minutos antes das 21.00 da quinta feira em este evento e no link embaixo de Google +

    Vamos falar. Vamos dialogar. Vamos mudar o país.
    Dia 18/07, ás 21h desliga a TV. #Vamos #SemCatracas #SemMedo


https://plus.google.com/u/0/events/cnr7s1nvquraekchcesd746cu8g















sábado, 13 de julho de 2013

NOTA CONTRÁRIA À RENOVAÇÃO DA PARCERIA COM A PETROBRÁS PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS EDUCATIVOS-ESPORTIVOS

Nota do Colegiado do curso de Licenciatura em Educação Física contra a renovação da parceria UFRB-Petrobrás para o desenvolvimento de projetos educativos-esportivos

CENTRO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES
COLEGIADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
NOTA CONTRÁRIA À RENOVAÇÃO DA PARCERIA COM A PETROBRÁS PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS EDUCATIVOS-ESPORTIVOS

À Comunidade Universitária,
O colegiado do curso de Licenciatura em Educação Física do Centro de Formação de Professores vem a público apresentar sua posição contrária à renovação de convênio da UFRB com a Petrobrás, via Ministério do Esporte no projeto do Centro de Referência Esportiva. Apesar de atuarmos na esfera da formação de professores em Educação Física na região de abrangência da UFRB, indicamos que não tivemos conhecimento formal da renovação desta parceria. E já em 2010, antes da assinatura do primeiro convênio, este colegiado apontava ao Magnífico Reitor Paulo Gabriel Soledade Nacif sua preocupação, em ofício:
“[...] Depois da análise, verificou-se que alguns itens indicados por este colegiado anteriormente a construção da proposta não foram  atendidos, e que algumas questões presentes  na proposição são contrárias a nossa compreensão referente ao papel desta Instituição  e dos princípios que defendemos para Formação de Professores de Educação Física.  principal questão que destacamos é que  nesta proposição a UFRB contratará um Instituto externo à Universidade para ministrar cursos de formação continuada  de professores da região.
Perante o exposto, identificamos que essa possível contratação pode fragilizar e trazer problemas para a UFRB, uma vez que é obrigação  e competência desta instituição (que  possui um centro específico para Formação de Professores, CFP/UFRB, e quadro docente  qualificado contratado prioritariamente para atuar na formação inicial e continuada de  professores) promover este tipo de formação. Sendo assim, consideramos que a UFRB pode ser questionada sobre a destinação de parte significativa do orçamento  do  projeto para a contratação de terceiros para executar uma atividade que lhe é própria[...]”.
Os possíveis problemas apresentados se confirmaram ao fim dos dois anos de convênio. Uma ONG foi contratada para fazer a função da qual a UFRB é responsável, ou seja, formar professores. Os problemas desta formação terceirizada, que conflitam com a formação realizada no CFP/UFRB, já são percebidos em contato com os professores da região que participaram da formação, a qual é imputada à UFRB e não à ONG. Outro elemento marcante é o Ginásio Esportivo que seria construído no campus de Cruz das Almas, o qual ainda não “saiu do papel”.
Diante destas questões, este colegiado não compreende o porquê da renovação de um convênio que promove uma formação que conflita com a proposta formativa desta instituição, bem como ainda não executou a obra prevista após dois anos. Um elemento novo reforça a nossa posição, no convênio atual a formação não é apenas terceirizada, mas, sim, “quarteirizada”, uma vez que a ONG inicial passou a atribuição formativa do convênio para outra ONG.
Neste sentido, este colegiado torna pública sua discordância com a assinatura de convênios institucionais que passam para terceiros atribuições que são finalidades desta Universidade e que ferem a autonomia universitária. Ressaltamos a nossa defesa e o compromisso com a formação de professores de Educação Física de qualidade.

Amargosa, 12 de julho de 2013.

Colegiado do curso de Licenciatura em Educação Física